sábado, 23 de maio de 2009

O Quarto da Rainha

Título: O Quarto da Rainha
Autor: Juliette Benzoni
Editora: Círculo de Leitores
Tradução: Carlos Correia Monteiro Oliveira
Nº de páginas: 264

"Sylvie foi encontrada aos quatro anos no meio da floresta, vestida com uma camisa manchada de sangue e agarrando uma boneca contra o peito. A sua família acabara de ser assassinada, possivelmente às ordens do cardeal Richelieu, com o intuito de recuperar umas cartas comprometedoras. Levada para Paris por um dos netos do rei Henrique IV, o príncipe François, a menina cresce no meio da Corte, protegida pelos Vêndome, e aos quinze anos torna-se uma das aias da rainha Ana de Áustria, mulher de Luís XIII. Sem querer, Sylvie irá partilhar o perigoso segredo do nascimento do futuro Luís XIV, e enfrentar forças poderosas como o rei Luís XIII, o sinistro e tenebroso cardeal Richelieu, mas também o sádico assassino da sua mãe. Este é o primeiro volume da trilogia 'Segredo de Estado', a que se seguirão "O Rei do Mercado" e "O Prisioneiro da Máscara de Veludo".


Comecei a ler este livro por mero acaso e devo dizer que gostei mais do que esperava. A escrita da autora é relativamente simples e o facto de se mostrar tão conhecedora da vida francesa no século XVII foi uma boa surpresa. Através das suas descrições e das suas personagens (algumas delas muito bem construídas) temos uma noção diferente e muito interessante da vida naquela corte francesa e das intrigas que rodeavam a nobreza da época. Só tenho pena que a narrativa não foque as classes mais baixas de uma sociedade tão estratificada mas este é um aspecto compensado pelas descrições das ruas e locais e pelo conhecimento que nos é transmitido. Fiquei com vontade de investigar e ficar a saber mais de alguns personagens históricos dos quais sabemos muito pouco.

Uma boa surpresa nesta narrativa foi o suspense e o mistério que me fizeram querer voltar as páginas a grande velocidade. Queria descobrir cada elemento da trama de crime e mistério que envolve a história dos personagens principais e acima de tudo chegar ao desfecho. Talvez por isso tenha começado a ler o segundo livro desta triologia quase de seguida, o véu do mistério é levantado, ficamos a conhecer os contornos da história de Sylvie mas neste primeiro volume não podemos assistir a uma verdadeira conclusão do elemento polícial da trama.

Ainda que a história seja interessante e a escrita da autora não seja de todo complicada houve algo que me impediu de desfrutar deste livro como devia, a tradução. Não sei como estão as seguintes edições (a minha é a primeira) mas esta está péssima. Tempos verbais incorrectos, expressões idiomáticas mal traduzidas, nomes de locais e personagens principais traduzidos para o português...enfim, um verdadeiro desastre do princípio ao fim e que quase me fez desistir da leitura por diversas vezes.

6/10

3 comentários:

Canochinha disse...

Tinha algum interesse neste livro (continuo a achar que a história deve ser interessante), mas o teu último parágrafo fez-me perder a vontade de o comprar. Ainda por cima um livro da Bertrand...

taralhouca disse...

Já li essa série mas edição da Bertrand. Não sei se será a mesma tradução mas parece-me que não, pois no que li os nomes não se encontravam traduzidos, mas já foi há bastante tempo e não me recordo da qualidade desta.
Dentro do género gostei bastante.

Alice disse...

Não se assustem... a edição que li era do circulo de leitores e a tradução era mesmo pessima mas já comecei a ler a segunda parte da história, na edição da Bertrand, e a tradução está muito melhor. Não há nomes traduzidos, as exppressões idiomáticas estão muito melhor, só há um pequeno problema a nível dos tempos verbais mas nada de muito significativo. Peguem na edição da Bertrand, é o melhor conselho que posso dar a quem quiser ler.
bj