sexta-feira, 24 de julho de 2009

Relicário

Título: Relicário
Autor: Douglas Preston e Lincoln Child
Tradução: João Barreiros
Edição: Saída de Emergência
Nº de páginas: 388
Nas profundezas de Manhattan escondem-se túneis, esgotos e galerias esquecidas por aqueles que caminham nas ruas da cidade. E na sua escuridão jazem adormecidos segredos aterradores. Quando dois esqueletos grotescamente deformados são encontrados na lama na costa de Manhattan, a antropologista Margo Green é chamada para auxiliar na investigação. Numa parceria com o tenente de polícia D'Agosta e o agente do FBI Pendergast, juntos tentam investigar e resolver o enigma dos homicídios. Mas quando crimes brutais invadem a cidade e incitam a população a tomar medidas drásticas, apenas a equipa de investigadores será capaz de evitar uma catástrofe global. As pistas conduzem-nos aos subterrâneos de Manhattan, onde irão descer ao inferno e enfrentar os piores pesadelos...
Dezoito meses depois dos fatídicos acontecimentos que tiveram lugar no Museu de História Natural de Nova Iorque e quando os sobreviventes quase tinham ultrapassado o sucedido, o terror volta a emergir, desta vez vindo das profundezas de Manhattan. Enganaram-se os que suspiraram de alivio com a morte do Mbuwn - a terrível criatura vinda da selva amazónica - e os que julgavam resolvido o mistério do seu aparecimento em Nova Iorque, pois nesta sequela de Relíquia vamos descobrir os terríveis enganos que marcaram os personagens no volume anterior, bem como as descobertas científicas alcançadas por alguns e as mais terríveis consequências que daí advieram.
Este é mais um explendido thriller saido das mãos de Preston e Child, arrepiante, electrizante e bastante negro ainda que muito divertido, ou não fosse Pendergast o detective de serviço. Desta vez os personagens movem-se sobretudo em Central Park e na imensa escuridão da rede de túneis, galerias e esgotos que formam um verdadeiro território inexplorado sob Manhattan. É ai que os piores pesadelos da inusitada equipa de investigação, liderada por Pendergast, ganham vida perseguindo inocentes descuidados e todos aqueles que se atrevem a uma aproximação ao Sotão do Inferno...
E porque, segundo os próprios autores, vivemos numa sociedade que apenas vê as coisas quando estas lhes são atiradas à cara, a narrativa não é apenas puro entretenimento de primeira qualidade servindo também para alertar a sociedade para o problema dos sem-abrigo, sobretudo a imensa comunidade que vive nos túneis que servem de cenário a esta aventura.
Com uma tradução e edição que fazem juz à qualidade da obra original, recomendo vivamente a leitura não apenas deste volume mas também daquele que o precede.
8/10

1 comentário:

Miar à chuva disse...

Nem sabia que o "Relíquia" tinha seguimento!
Obrigada pela informação.