terça-feira, 6 de outubro de 2009

O Nome do Vento

Título: O Nome do Vento
Autor: Patrick Rothfuss
Tradução: Renato Carreira
Edição: Gailivro
Nº de páginas: 966

"Chamo-me Kvothe. Resgatei princesas dos túmulos de reis adormecidos, incendiei Trebon. Passei a noite com Felurian e parti com a sanidade e com a vida. Fui expulso da Universidade na idade em que a maioria dos alunos é admitida. Percorri caminhos ao luar que outros receiam nomear durante o dia. Conversei com deuses, amei mulheres e compus canções que fazem chorar os trovadores. É possível que me conheçam."
Antes de começar a ler O Nome do Vento deparei-me com imensa informação sobre o livro, principalmente na internet. Fosse o que fosse que pudesse ler acerca da obra um ponto era comum, esta é considerada a melhor obra de fantasia dos últimos anos. Esta é uma fasquia bem elevada e já aprendi a nunca ter grandes expectativas relativamente a livro que trazem colados epítetos deste género mas desta vez não fiquei nada desiludida.

Enfim, não posso dizer que seja a melhor obra, ainda não conhecemos os demais volumes desta trilogia e, além disso, sou fã de George R. R. Martin... mas posso assegurar que é das melhores obras (não só de fantasia, eu diria de literatura em geral) que li nos últimos anos.
A escrita é muito simples e fluída mantendo-nos presos à história da vida de Kvothe que, agora um homem como qualquer outro, esperando por algo temível, narra as aventuras e desventuras da sua vida desde criança até ao "agora". Estão presentes todos os ingredientes indispensáveis a uma estória digna desse nome, personagens enigmáticas, tragédia, cenas repletas de humor, amor, intriga e mistério...
Neste volume conhecemos Kvothe criança feliz e amargurada, jovem prodígio com tendência para se colocar em apuros mas a narrativa termina mesmo quando queríamos saber o que acontece a seguir - é sempre assim...!!! Os acontecimentos passam-se numa espécie de Terra Média onde se falam várias línguas diferentes, inventadas pelo autor, e que deixam transparecer algumas influências de Tolkien. Gostei especialmente do modo como a história vai sendo contada, parecendo por vezes que o autor se esqueceu de continuar a narrar certo episódio para depois, quando já somos nós quem quase o olvidou, voltar a pegar-lhe de uma forma que faz todo o sentido.
A tradução está bastante bem, penso eu, e não encontrei grandes gralhas ou erros. Confesso que era isso que temia dadas as falhas encontradas na Saga de Luz e Escuridão publicadas pela mesma editora.
Recomendo vivamente.
8/10

5 comentários:

Jojo disse...

Olá!
Eu estou ver se amealho o suficiente para comprar este livro. Li uma parte em inglês e adorei.
Com opiniões destas fica difícil resistir...

Bjinhos*

Páginas Desfolhadas disse...

Olá:

O Sombra dos Livros tem um mimo à espera no Páginas Desfolhadas!

Boas Leituras!

B. disse...

Deixei um selinho para a "Sombra dos Livros" no meu blog! .)

André disse...

Estava ansioso para encontrar uma opinião sobre este livro, que tanta curiosidade me tem despertado. hehe

E finalmente encontrei. Bem, esta opinião fez-me ficar.... humm.. (nao encontro a palavra)... Ah! já sei... Ainda mais LOUCO para o ler. =D =D

O que me assusta, e posso considerar um entrave à sua leitura, é o seu número de páginas. 966?! É muito. lool

Veremos se arranjo coragem para lê-lo. ahahah

Já agora, muitosss parabéns pelo Blog. (Ganharam mais um seguidor) =) =)

Alice disse...

André, não te assustes. As primeiras páginas custtam um bocadinho, há até uma parte um bocadinho confusa que espero se venha a esclarecer num próximo volume, mas depois...bem, depois é de um folego. Nem dás pelas páginas a passar e num instantinho ficas é sem mais páginas!!!
Bem-vindo aqui à sombra