sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Anel Oculto

Título: Anel Oculto
Autor: Anne Bishop
Tradução: Cristina Correia
Edição: Saída de Emergência
Nº de páginas: 367

"Depois de nos maravilhar com a Trilogia das Jóias Negras, a autora regressa ao mundo que a fez vencer o prémio Crawford Memorial Fantasy Award. Desta vez para nos contar a história de Jared, um Senhor da Guerra de Jóia Vermelha. Jared transgrediu todas as regras ao assassinar a sua rainha. Mas no reino dos Sangue, são poucos os homens que podem sobreviver sem estar sob a vigilância de uma rainha. Conseguirá Jared enfrentar os seus próprios demónios e descobrir o significado de estar verdadeiramente ligado a uma rainha?
Anel Oculto é um livro isolado, mas tem laços com os acontecimentos da trilogia - especialmente pela presença do inesquecível Daemon Sadi. O mundo de Bishop continua a ser gótico, sensualmente perigoso e por vezes violento. Um prazer de leitura para os fãs, e uma excelente descoberta para os novos leitores que são apresentados a uma sociedade complexa, exigente, e carregada de personagens tão reais que arrepiam."
Cronologicamente este livro situa-se algures no meio da Trilogia das Jóias Negras, pouco depois de Dorothea ter castrado o seu Guarda-Mor e ter enviado Daemon a uma nova rainha, numa época em que Jaenelle não passava ainda de uma criança.
No início deste volume deparamo-nos com um Senhor da Guerra de Jóia Vermelha disponível para venda num mercado de escravos. O seu destino mais certo são as minas de sal (onde o nosso Lucivar passou muitos anos da sua vida), um castigo por ter assassinado a rainha ao serviço da qual se encontrava como escrevo do prazer. Como já sabemos de outras narrativas, as rainhas que se submetem às vontades de Dorothea SaDiablo têm uma certa tendência para exagerar nas suas atitudes e adoram inferiorizar os demais e estas foram as razões que levaram Jared ao desespero. Embora convencido de que merece castigo e conformado com o seu destino, Jared apenas sonha com uma oportunidade de fuga, nem que por uns momentos, para poder falar a Reyna, a sua mãe. O aparecimento da Senhora Cinzenta, rainha de território que abertamente se declara opositora de Hayll, mulher temida e odiada, perseguida e condenada por Dorothea, vai frustrar-lhe os planos.
Imprevistos farão com que o que supostamente seria uma curta viagem de carruagem pelos ventos se transforme numa longa jornada por terra em que a Senhora Cinzenta e os escravos por si adquiridos terão que fazer algo mais que caminhar para poder alcançar o seu destino. Paralelamente, o novo Guarda-Mor da Dorothea vê-se cada vez mais na obrigação de conseguir levar a cabo a missão recusada pelo seu antecessor e por termo à vida da senhora cinzenta pois as ameaças que sobre si pendem são cada vez mais terríveis e mais credíveis. Contudo,no estranho grupo que acompanha a Senhora Cinzenta poucos são aquilo que parecem e as surpresas sucedem-se a cada curva da estrada.
Não é necessário falar da escrita revigorante da autora e do sui generis mundo por esta criado, os personagens obedecem às premissas de sempre tornando-se tão reais que por vezes nos parece que estão ali mesmo ao nosso lado. Gostei bastante da história e consegui compreender na perfeição os problemas e as motivações de Jared e Lia, contudo não me parece que este volume esteja à altura da afamada trilogia. Alguns personagens deviam, na minha opinião, ter sido muito mais desenvolvidos - como por exemplo Thera - a participação de Daemon Sadi e mesmo as relações entre alguns personagens ficaram muito aquém daquilo a que os fãs de Bishop estão habituados. Enfim, a fasquia está demasiado elevada e deve ser muitíssimo difícil manter um nível que agrade a todos os fãs. Mesmo não me tendo agradado tanto como os volumes que li anteriormente, voltar ao mundo dos Sangue vale sempre a pena e não posso deixar de recomendar a todos os fãs da trilogia das Jóias Negras.
7/10
Nota: Já depois da publicação deste post a Canochinha chamou-me, e bem, a atenção para o facto de eu ter classificado mal cronologicamente a obra. Referi que os acontecimentos narrados eram já de uma época em que a Jaenelle é uma criança. Tal não é verdade. Confundi-me com uns episódios que me deixam um pouco perturbada (a Dorothea tem este efeito nas pessoas) e cometi aqui um erro. Este livro está cronologicamente antes, bastante antes, dos acontecimentos relatados na trilogia das Jóias Negras - Daemon num diálogo com Jared deixa bem claro que está à espera da sua rainha, da Feiticeira, que ainda nem sequer nasceu.
Peço desculpa pelo erro.

2 comentários:

Canochinha disse...

Alice, só uma pequena correcção: este livro decorre, de facto, antes de qualquer acontecimento da Trilogia das Jóias Negras. A dada altura deste livro, Daemon revela o seu desejo de encontrar a sua rainha, ainda por nascer... Logo, nunca poderia ter ocorrido a meio da trilogia, que começa com Jaenelle criança ;)

Também no livro "Aliança das Trevas", que decorre 2 anos após os acontecimentos finais da trilogia, aparecem personagens descendentes de Jared e Lia, com várias gerações de diferença ;)

Quanto a este livro propriamente dito, confesso que é o que menos gosto de todos os que decorrem neste mundo.

Alice disse...

Pois é, agora que referes o facto e que me ponho a pensar bem no assunto... É verdade. Confundi-me cronologicamente por causa da história da Dorothea e dos guarda-mor. São uns episódios algo negros e que me deixaram algo traumatizada.
Bj