quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

O Rapaz que Falava com o Diabo

Título: O Rapaz que Falava com o Diabo
Autor: Justin Evans
Tradução: Jaime Araújo
Edição: Presença
Colecção: Lado B
Nº de páginas: 336

"George Davis jamais pensou que no dia em que tivesse um filho fosse incapaz de lhe pegar ou sequer de se aproximar dele, como lhe veio a acontecer. Por isso decide consultar uma psiquiatra, onde a pouco a pouco vai revelando episódios traumáticos da sua infância, relacionados com a morte misteriosa do pai. George lembra-se de em criança ser visitado por uma estranha aparição, um rapaz que lhe conta factos muito perturbadores acerca do seu pai. Mas este rapaz existirá mesmo ou será tudo produto de uma imaginação transtornada? Um thriller psicológico com todos os ingredientes que o deixarão agarrado às páginas do princípio ao fim."
Está desde hoje disponível "O Rapaz que Falava com o Diabo", o mais recente título da Colecção Lado B da Presença, editora à qual agradeço pela oportunidade de leitura antecipada.
Com este livro Justin Evans leva-nos numa viagem pelos recantos mais obscuros da mente humana e pelos maiores mistérios e medos que povoam a nossa imaginação e as nossas noites.
Tudo começa com a incapacidade total de George no que respeita ao seu filho e que ameaça destruir-lhe o casamento. Lutando contra uma realidade que nem ele mesmo compreende, George procura ajuda profissional e seguindo a sugestão da sua psicóloga, começa a escrever uma espécie de diário da sua vida. É através destes diários que George vai mergulhar em acontecimentos esquecidos da sua infância e nos levará numa viagem pelas memórias de uma criança atormentada com a morte do pai e com as consequências desta tragédia.
A narrativa feita por George leva-nos a conhecer e a compreender uma criança solitária e com conhecimentos e comportamentos muito adultos para a idade que, de repente, se vê numa situação inexplicavelmente perigosa e que lhe mudará a vida. As aparições ou alucinações de que começa a sofrer dão-lhe conhecimentos que não possuía e levam-no a ver a vida e os que o rodeiam de uma nova perspectiva. O problema é que também o levam a cometer actos perigosos que põem em perigo a sua vida e a dos demais. É a partir deste ponto que o George criança e o George adulto (aquando do relembrar os acontecimentos há muito esquecidos) se cruzam num dilema que, para este personagem, é o mesmo de sempre. O passado está mais próximo e é mais real do que George desejava e mais uma vez ele vai ter que escolher entre aquilo em que o seu pai acreditava e a visão mais académica da sua mãe e dos seus médicos; escolher entre toda a parafernália de seres malignos apresentados pela religião ou o diagnóstico científico feito por psiquiatras.
Mais do que assustador, é um livro inquietante que nos aproxima dos nossos medos e nos leva momentaneamente a pôr em causa aquilo em que acreditamos. A narrativa é rica e a escrita cativante contribuindo para nos deixar presos das primeiras páginas ao desenrolar surpreendente.
7/10

3 comentários:

Lariane disse...

adorei... amooooo livros que mexem com nosso psicológico..

Diana Barbosa disse...

Eu li e adorei :D

Diana
(Refugio dos Livros)

tonsdeazul disse...

Tenho uma certa curiosidade em ler este livro. A capa chama bastante a atenção e o título também é sugestivo.
A tua opinião só me deixou ainda com mais vontade! Um livro a adquirir num destes dias, sem dúvida!