sábado, 25 de dezembro de 2010

Não se esqueçam

Olá a todos

Só queriamos lembrar-vos que amanhã é o último dia para o envio de textos para o passatempo Dark Christmas. Ainda vão a tempo...

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Feliz Natal

Nota: Este post é bilingue

Las ninas de la Selombra de ls Lhibros zeian a todos ls sous seguidores, parceiros, amigos i a todos ls que d'algun modo participan i ajudan ne l zambolber deste nuosso cantico, un Natal feliç, cheno de paç, alegrie e cun muitas, muitas calorias (sin docinhos ni parece natal...) :)
Speramos que l 2011 sea un bun anho para todos, cun salude, trabalho i ne l qual la felicidade ne ls mostre un sorresinho. Se nun podir ser melhor que l'anho qu'agora termina, pul menos, que nun seia pior. Que ne ls traga deliciosos lhibros i lheituras mágicas, cun muitos i buns outores para çcubrir ó rebesitar.
Oubrigada a todos pul carinho, l'amisade, l'apoio i (a las bezes tamien) pula pacéncia.
Feliç Natal i buonas lheituras




As meninas da Sombra dos Livros desejam a todos os seguidores, parceiros, amigos e a todos os que de algum modo participam e ajudam a desenvolver este nosso cantinho, um Natal feliz, cheio de paz, alegria e com muitas, muitas calorias (sem docinhos nem parece Natal...) :)
Esperamos que 2011 seja um bom ano para todos, com saúde, trabalho e no qual a felicidade nos mostre um sorrisinho. Se não puder ser melhor que o ano que agora termina, pelo menos, que não seja pior. Que nos traga deliciosos livros e leituras mágicas, com muitos e bons autores para descobrir ou revisitar.

Obrigada a todos pelo carinho, amizade, apoio e (às vezes também) pela paciência.

Feliz Natal e boas leituras

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Resultado do passatempo Pack Presença

Olá a todos, demorou mas aqui estou com o resultado fresquinho...
Antes de mais, quer agradecer à Presença mais este passatempo e também a todos os que participaram nele. As questões colocadas e respostas pretendidas eram:

1 - O canoeiro faz um acordo com o esqueleto de quem?
DomDaniel, o Necromante

2 - Em que consiste essa acordo?
Fará tudo o que puder para lhe Restituir a vida, permitindo-lhe reclamar o lugar que é seu por direito na Torre dos Feiticeiros, bastando para isso que o esqueleto o aceite como seu Aprendiz.

3 - Em que ano nasceu Angie Sage?
1952

4 - Quem escreveu o Livro Maléfico?
Magnus Myst

5 - Que grande segredo está escondido nas páginas deste livro?
Fórmula mágica secreta para preparar o Amuleto Negro

6 -Quantas são as provas diabólicas concebidas pelo autor do Livro Maléfico?
10 provas diabólicas


A vencedora deste passatempo foi
Vanessa Guapo, Leiria
Parabéns!!

domingo, 19 de dezembro de 2010

Feliz Aniversário



A nossa Bailarina faz hoje 23 aninhos. Queremos todas desejar-lhe um feliz aniversário e muitas, muitas felicidades. Muitos bailados e poucas sapatilhas apertadas :)
E agora vamos ali fazer uns brindes e encher-nos de bolo e já voltamos...

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Em Janeiro de 2011 com a SdE

E está confirmado, é oficial, a minha carteira não vai aguentar este tipo de coisas (ainda se rebela...!!!).

Estarão disponíveis a 21 de Janeiro de 2011

Vinculo de Sangue, Patricia Briggs - mais uma aventura de Mercy a mecanica de Volkswagen

Tatuagem, de Melissa Marr - novo volume da série Wicked Love

Nação, de Terry Pratchett - aclamado internacionalmente e desperatdor da minha curiosidade

Laços de Sangue, de Charlaine Harris - mais um volume de Sangue Fresco, saga que, por aqui, dispensa apresentações.

NOTA: Também sei que será editado um novo volume da série Predadores da Noite de Sherrilyn Kenyon mas não tive acesso à capa e não sei a data exacta do lançamento, embora presuma que seja também a 21 de Janeiro.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Em Chamas - O Jogos da Fome Livro II

Título: Em Chamas
Os Jogos da Fome - Livro II
Autor: Suzanne Collins
Tradução: Jaime Araújo
Edição: Ed. Presença
Colecção: Via Láctea
Nº de páginas: 268

"Pela primeira vez na história dos Jogos da Fome dois tributos conseguiram sair da arena com vida. Mas o que para Katniss e Peeta não passou de uma estratégia desesperada para não terem de escolher entre matar ou morrer, para os espectadores de todos os distritos foi um acto de desafio ao poder opressivo do Capitólio. Agora, Katniss e Peeta tornaram-se os rostos de uma rebelião que nunca esteve nos seus planos. E o Capitólio não olhará a meios para se vingar..."
QUERO MAIS... é a única coisa que me apetece dizer depois de terminada esta leitura. Parece-me que no terceiro volume vamos finalmente ver respostas a algumas perguntas que estão pendentes e teremos um desfecho em grande. Espero mesmo que não demore muito a ser editado o último livro.
Embora não se tenham apercebido disso durante muito tempo, Katniss e Peeta foram a semente da rebelião e dela se tornaram símbolo com a sua vitória nos Jogos da Fome. Os Distritos de Panem começam aos poucos a sublevar-se e, numa tentativa de pôr cobro à situação, o Capitólio organiza os Jogos mais injustos e aterradores de que há memória. Katniss e Peeta voltam à arena e com eles muitos tributos vencedores. E mais não posso dizer senão entro em grandes spoilers e vocês dão cabo de mim... :)
Embora continuemos sem compreender muito bem o que aconteceu ao Mundo para que a sociedade se encontre neste estado de apatia e individualismo que a fazem regredir, começamos a compreender (pouco) alguns aspectos da vida e evolução de Panem à medida que vamos conhecendo novos personagens e nos vamos adentrando em alguns dos Distritos que até agora não passavam de números e locais longínquos num mapa imaginário. Mas o mistério também se adensa. Será que afinal o Distrito 13 não foi mesmo destruído? O que vai acontecer aos nossos personagens com estas revoltas e guerras com o Capitólio? São perguntas que nos surgem no fim da leitura - e o livro acaba de uma forma algo abrupta que requer muitas respostas - e que espero ver explicadas em breve.
Os personagens, novos e os que já conhecemos, continuam fortes, com carácter vincado e com características muito próprias o que torna impossível não criarmos uma certa empatia com qualquer um deles. Alguns não são o que parecem e a intriga adensa-se a cada página. Um dos pontos fortes continua a ser a capacidade de transmissão de sentimentos revelada pela autora. Tão depressa nos consegue pôr a rir com uma cena mais cómica como nos leva às lágrimas com situações de uma enorme carga emocional. Confesso que, mais uma vez, houve uma cena ou duas em que chorei mesmo.
A linguagem é acessível sem ser simples e a narrativa é extremamente envolvente, sem quebras de ritmo, fortemente marcada pelas emoções e pela violência. Quem gostou do volume anterior não pode passar sem ler este. E aos que não leram nenhum dos dois apenas posso recomendar.
Adoro esta saga!!
8/10
Podem ler um excerto do livro aqui

sábado, 11 de dezembro de 2010

passatempo natalício Pack Presença

A Sombra dos Livros em parceria com a Presença tem para vos oferecer um pack que inclui um exemplar de dois livros lançados pela editora neste mês de Dezembro, "O Livro Maléfico" e "Septimus Heap - Voo - Livro 2".



" Passou um ano desde que Septimus Heap descobriu a sua verdadeira família e o chamado para se tornar feiticeiro. É agora aprendiz de Madame Marcia Overstand, a Feiticeira ExtraOrdinária, e está a aprender as artes dos Encantamentos, Feitiços e outras formas de Magya. Entretanto, Jenna está a adaptar-se à vida de Princesa, mas algo de sinistro se está a passar. Por que prevalece ainda a Magya Negra? Mistério, aventura e muito humor numa obra que eleva o género fantástico a novos níveis de criatividade e imaginação. "
Excerto disponível aqui




"Infelizmente cometemos um erro tremendo. Este livro nunca foi destinado a publicação. Ele contém magia e palavras más que ninguém alguma vez poderá ouvir. Está cheio de mentiras muito atrevidas e de enigmas secretos, que deixam baralhados mesmo os adultos. E no início até tem monstros! Por isso aconselhamos-te vivamente: nem penses abri-lo e dar-lhe uma vista de olhos. Porque este livro é maléfico. E cada página… poderá ser a tua última! "
Excerto disponível aqui


Para se habilitarem a ganhar o pack que temos para oferecer apenas terão que responder às questões que se seguem:

  1. O canoeiro faz um acordo com o esqueleto de quem?
  2. Em que consiste essa acordo?
  3. Em que ano nasceu Angie Sage?
  4. Quem escreveu o Livro Maléfico?
  5. Que grande segredo está escondido nas páginas deste livro?
  6. Quantas são as provas diabólicas concebidas pelo autor do Livro Maléfico?

As respostas poderão ser encontradas nos excertos disponibilizados pela editora e no site da editora.

Boa sorte e todos.

Regras do passatempo:

O passatempo decorre até às 23:59h de dia 17 de Dezembro;

As respostas deverão ser enviadas para o e-mail do blog (sombradoslivros@gmail.com) juntamente com os vossos dados pessoais (nome e morada);

Só serão aceites participações de residentes em Portugal e apenas uma por e-mail e morada;

O vencedor será anunciado no blog e contactado por e-mail.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Vem aí mais um.... passatempo natalício

Queria fazer um post algo mais alongado mas hoje as coisas estão complicadas. Deve ser por ser sexta-feira... Lá vou ter que deixar a opinião que queria publicar hoje para um dos próximos dias :(
Entretanto, queria perguntar-vos se já viram as novidades da Presença para Dezembro. Não? Então podem dar um pulinho aqui porque muito, muito em breve vamos lançar o Passatempo de Natal com a Presença e duas destas novidades podem ser vossas.
Fiquem atentos.
Boa sexta-feira e até amanhã...

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Convite Não atires pedras a estranhos porque pode ser o teu pai


Dia 10 de Dezembro (sexta feira) pelas 19 horas numa das enfermarias do Pavilhão 11 do Hospital Júlio de Matos, Fernando Alvim e Manuel João Vieira apresentam o livro (da autoria de Fernando Alvim) Não atires pedras a estranhos porque pode ser o teu pai. Este livro marca o arranque da editora Cego, Surdo e Mudo.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

O Dardo de Kushiel & A Marca de Kushiel

"TERRE D'ANGE é um lugar de beleza sem igual. Diz-se que os anjos deram com a terra e a acharam boa... e que a raça resultante do amor entre anjos e humanos se rege por uma simples regra: ama à tua vontade. Phèdre é uma jovem nascida com uma marca escarlate no olho esquerdo. Vendida para a servidão em criança, é comprada por Delaunay, um fidalgo com uma missão muito especial... Foi, também ele, o primeiro a reconhece-la como a eleita de Kushiel, para toda a vida experimentar a dor e o prazer como uma coisa só. Phèdre é adestrada nas artes palacianas e de alcova, mas, acima de tudo, na habilidade de observar, recordar e analisar. Espia talentosa e cortesã irresistível, Phèdre tropeça numa trama que ameaça os próprios alicerces da sua pátria. A traição põe-na no caminho; o amor e a honra instigam-na a ir mais longe. Mas a crueldade do destino vai levá-la ao limite do desespero... e para além dele. Amiga odiosa, inimiga amorosa, assassina bem-amada; todas elas podem usar a mesma máscara reluzente neste mundo, e Phèdre apenas terá uma oportunidade de salvar tudo o que lhe é mais querido."



"Para trás ficaram Terre d'Ange e as intrigas palacianas, a Corte das Flores da Noite, os amados Delaunay e Alcuin, os amigos, patronos e tudo o que para Phèdre evoca a palavra "casa"... Para trás ficaram também a herdade e a familiaridade da sua ternura tosca, a gentileza das suas mulheres e a beleza das suas cantigas... Diante de Phèdre abre-se agora a incógnita de um destino de cativeiro às mãos do cruel Waldemar Selig, no ambiente hostil da sua herdade e das suas gentes... O desvendar da ameaça que paira sobre Terre d'Ange, dos planos de um poderoso comandante e dos traidores d'Angelines. Pela pena de Phèdre, afrontamos o Mais Amargo Inverno através da vastidão skáldica. O retorno a Terre d'Ange e a oportunidade de salvar tudo o que lhe é mais querido. Traição, guerra, desafio, imolação, amor e redenção. Logrará Phèdre fazerjus à Marca de Kushiel e concretizar esse sonho tão ansiado?"

Apresento-vos estes dois volumes juntos pois eles são, na verdade, apenas um volume na versão original. A SdE optou mais uma vez por dividir o volume original em dois e estou até tentada a agradecer visto que o original tem cerca de 1000 páginas. Não é que me assuste mas... não dá muito jeito para trazer na mala.
Na versão original esta saga terá 9 livros, 7 dos quais já editados e depois de terminada este leitura só posso dizer que aguardo com uma enorme expectativa a edição de todos eles em Portugal.
Se o mapa do mundo criado por Jacqueline Carey com base numa Europa algo pré-medieval/medieval, não é nada complicado e com a sua ajuda a acção se torna fácil de seguir em termos geográficos, o mesmo já não se pode dizer do sistema social e político, bem como do jogo de intrigas nos quais os personagens se movem e pelos quais somos por elas guiados. A sociedade de Terre d'Ange assenta em Casas de prazer que veneram a deusa Nammah e em outras organizações, famílias ou instituições que se dedicam aos diversos deuses - cada um deles protector de uma região e das famílias daí naturais e que deles descendem. Com aliados distantes, inimigos bem próximos, aliados que o não são e inimigos que não o são tanto, a intriga política é um elemento muito forte. Quase tão forte como o sexo e a sensualidade, presentes a cada página e em quase todos os elementos que constituem este mundo.
O nosso guia em Terre d'Ange é Phèdre, uma jovem vendida pela mãe ainda em criança e destinada a uma das casas de Nammah. Contrariamente a tudo o que seria de esperar, ela é alguém muito especial e é assim que acaba por ser educada por um fidalgo misterioso e que conhece o jogo político como ninguém. Com Alcuin, outro protegido do seu patrono, cresce com uma educação exemplar e tem uma infância feliz. Até que a sua natureza a reclama e ela mergulha no mais profundo da sordidez humana até o seu mundo mudar irremediavelmente.
Phèdre é misteriosa, inteligente, elegante na acção e no pensamento e magnetizante. Seduz-nos com uma languidez desarmante e que não deixa ninguém indiferente, criando uma ligação forte com o leitor. A forma como aceitamos aquilo que ela é, o que representa a sua natureza é... não sei explicar. Aceitamo-lo com uma naturalidade tão estranha que nem as descrições de sessões masoquistas (que estão escritas de forma muito elegante, devo dizer) chocam tanto quanto o esperado.
Além do narrador sedutor, penso que será fácil para qualquer leitor a identificação com diversos personagens. Eles são um dos pontos fortes desta narrativa, bem construídos e credíveis, humanizados ao máximo e, acima de tudo, misteriosos. Ainda que com uma dicotomia herói/anti-herói (ou personagem bonzinho/personagem mau) ainda algo presente, a estória não perde em nada com este facto pois a autora socorre-se de outros artifícios para nos surpreender. Ainda que o leitor possa esperar acções menos benéficas deste ou daquele personagem, a surpresa é uma constante dado que os acontecimentos sofrem reviravoltas marcantes e que nos levam a querer sempre saber o que se seguirá. A acção não é vertiginosa, desenrola-se a um ritmo próprio, constante mas não rápido que nos é benéfico porque nos permite conhecer dados, locais e personagens sobre os quais não nos poderíamos deter se o ritmo fosse mais marcado.
Por último, não posso deixar de referir o elemento que mais me prendeu, o elemento mágico destes livros. A linguagem. Há tanto tempo que não lia um livro assim, normalmente a linguagem é simples e fluída mas aqui... É fluída, é mas de simples tem muito pouco. A linguagem é como o narrador, têm pontos em comum e complementam-se simultâneamente. Atrevo-me mesmo a dizer que o narrador que temos diante de nós, com uma linguagem diferente perderia grande parte da sua identidade, do seu carisma e magnetismo. Jacqueline Carey teve o cuidado de usar uma linguagem cuidada e elegante, sensual e minimamente erudita (em algumas passagens) e que, se a princípio se estranha, acaba por se entranhar de tal modo que não queremos deixá-la. Esta linguagem marca e é marcada pelo narrador, atribui elegância à narrativa e seduz o leitor de forma quase mágica.
Adorei.
Um apontamento menos positivo para a tradução. A tradução no geral está bastante boa, não há erros de ortografia e não notei que houvesse falhas na adaptação de expressões idiomáticas nem nada desse género mas... Será que hoje já ninguém sabe conjugar verbos? Será assim tão complicado usar o presente do conjuntivo?
Numa época em que, vá-se lá saber porquê, as pessoas falam cada vez pior, ouvem os outros a fazê-lo constantemente e escrevem ainda pior do que falam custa-me ver que os livros começam a espelhar essa realidade (nem é pelo dinheiro gasto, é mesmo porque um livro é fonte de informação e saber). Principalmente quando a tradução de uma forma geral é boa, como é o caso... Não percebo mesmo como pode acontecer.
9/10

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Laços de Sangue em Janeiro


Durante o fim-de-semana recebi esta fantástica noticia, o novo volume da saga Sangue Fresco chega-nos em Janeiro e já tem capa. O que acham? Confesso que não é das minhas preferidas mas... o que interessa é o conteúdo.
Queria aproveitar o post para vos dizer que, ultimamente, por motivos pessoais não tenho actualizado o blog tantas vezes como o habitual e tão pouco tantas vezes como gostaria. Ainda assim, prometo redimir-me. Vou tentar passar por aqui, pelo menos, duas a três vezes por semana, recomeçar a postar as novidades, os novos lançamentos e etc. Nada de desânimo...
Bom feriado a todos

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Sepulcro

Título: Sepulcro
Autor: Kate Mosse
Tradução: Maria João Freire de Andrade
Edição: Livros d' Hoje
Nº de Páginas: 656

"Meredith Martin chega a Domaine de la Cade para fazer uma pesquisa para a biografia de Claude Debussy. Mas tem o desejo de descobrir as origens da sua família, que remontam à região. As únicas chaves que tem são a velha partitura de piano, as fotos antigas que a sua mãe lhe deixou e as cartas em que nunca acreditou. De imediato é cativada pela trágica história da casa, que se diz ser assombrada, e pelo destino de Léonie Vernier – uma jovem que em 1981 rumou a Domaine de la Cade com o seu irmão e que em 1987, no dia de Todos-os-Santos, desaparece sem deixar vestígios. Nessa mesma noite, numa pequena aldeia do vale, um sacerdote idoso e recluso é brutalmente assassinado. As únicas ligações entre os dois acontecimentos são a música fantasmagórica que paira no ar nos antigos bosques da montanha e a carta de tarot colocada na mão do morto: a carta XV, O Diabo. Os assassinos nunca foram julgados e o corpo de Léonie nunca apareceu. Quando Meredith vê um antigo túmulo escondido dentro do recinto e ouve a música fantasmagórica que ecoa durante a noite, percebe que a história das cartas está longe de estar morta e enterrada. Contra a sua vontade, vê-se numa corrida contra o tempo, tanto para encontrar o tarot de Vernier como para solucionar o antigo mistério do desaparecimento de Léonie, sem se tornar ela própria a mais recente vítima."
Não li o primeiro volume desta trilogia. Li boas críticas sobre ele mas, não sei muito bem porquê, não me chamou a atenção, ou não se sobrepôs a outros títulos que à época lhe faziam concorrência na minha lista de livros a adquirir. Não senti que tal fosse indispensável para a leitura deste segundo volume, fiquei, isso sim, com uma tremenda vontade de ler o primeiro quando terminei esta leitura.
Neste livro há muitas histórias que se entrelaçam, formando uma espécie de tapeçaria que permite ao leitor conhecer não apenas a família em foco mas as diferentes facetas dos diversos personagens. As duas histórias centrais da trama são separadas por cerca de 200 anos, contudo, a sua ligação é mais forte e mais complexa do que o leitor pode, de início, supor.
Em 1897 terríveis acontecimentos têm lugar em Domaine de la Cade, deixando uma família quase dizimada na sua totalidade; em 2007, no mesmo Domaine de la Cade, Meredith, encara a maldade e a morte de frente, enquanto tenta desvendar a verdade sobre o seu passado e as raízes da sua família. Ainda que de início a tarefa lhe parecesse apenas mais um trabalho de investigação, naqueles terrenos nem tudo é o que parece e o sobrenatural espreita a cada esquina.
Pessoalmente, gostei muito mais da trama de 1897 do que da história passada na actualidade mas penso que isso se deve sobretudo às magnificas descrições de Paris e Carcassonne da época feitas pela autora. Este é verdadeiramente um dos pontos altos deste livro, a descrição da vida e costumes da época, bem como a capacidade de nos fazer ver os cenários descritos, são sem dúvida elementos que deixam o leitor siderado. Uma surpresa muito positiva foi também o modo como a autora conseguiu interligar as duas histórias centrais, como, sem perder consistência, nos vai guiando do século XIX ao XXI para depois nos levar a recuar no tempo mais uma vez. É aqui que o sobrenatural marca presença de modo mais acentuado mas tal serve para apimentar a história e despertar a curiosidade do leitor pois o mistério persiste até ao fim e, embora o ritmo de toda a narrativa seja muito constante, está longe de ser rápido, é este suspense que nos faz virar as páginas.
Gostei bastante embora o, já referido, ritmo da narrativa não tenha contribuído para uma leitura tão rápida como o normal. É um livro para ler com calma e, de preferência, ao som de Debussy (eu fiz a experiência e adorei...).
7/10

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Passatempo Dark Christmas, um Natal Negro

Como já devem ter calculado pelo vídeo que aqui colocámos no fim-de-semana, vem aí o passatempo de natal da SombradosLivros.
Como já tínhamos anunciado no vídeo, e à semelhança do que aconteceu no ano passado, vão ter que pôr a vossa imaginação a funcionar...
O tema deste ano é Dark Christmas, um Natal Negro e aquilo que temos para vos propôr é a criação de um conto de natal, uma história passada na época natalícia. Não temos grandes regras ou restrições, terão apenas que ter em conta os elementos: Natal e "dark". Isto é, podem escrever um conto de terror ou podem optar por uma história com elementos dark, quer sejam os ambientes, os personagens ou a própria trama narrativa. Vampiros, zoombies, anjos malvados, assassinos em série, mundos negros e sangrentos, romance, drama, terror... vale tudo, até arrancar olhos :)
Puxem pela imaginação e surpreendam-nos.
Este ano sentimo-nos muito generosas, por isso, em vez de 3 prémios teremos 5. Serão premiados os 5 melhores contos que serão posteriormente publicados no blog. E os prémios são:

1º Prémio - os quatro livros da Saga Luz e Escuridão de Stephanie Meyer

2º prémio - O Mistério de Alaizabel Cray, de Cris Wooding

3º prémio - Bons Augúrios, de Neil Gaiman e Terry Pratchett

4º prémio - Nómada, de Stephenie Meyer

5º prémio - Floresta de Mãos e Dentes, de Carrie Ryan







Gostaram? Então, toca a escrever...

Regras do passatempo:

Os textos não devem exceder as 12 páginas e devem obedecer à temática acima mencionada;

Os textos deverão ser enviados até às 23:59h do dia 26 de Dezembro para o e-mail do blog (sombradoslivros@gmail.com), juntamente com os vossos dados pessoais - nome, contacto e morada.


Todos os textos devem ser redigidos numa das línguas oficiais de Portugal (português ou mirandês) - vamos lá ver se a malta do mirandês se atreve... :)

O concurso está aberto a todos os interessados, basta para isso que escrevam em Português e vivam num lugar em que o carteiro não se recuse a entregar a encomenda. :) Ou seja, desde que escrevam em português o país onde vivem não é restrição (Portugal continental e ilhas, Brasil, U.E.A, França...qualquer país).

Os vencedores serão contactados por e-mail e os seus nomes publicados no blog.

Boa sorte a todos

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

As minhas estantes...

É por isto que eu adoro o meu quarto...







E das estantes FINALMENTE arrumadinhas
















Mandem-nos as vossas estantes também. Prometemos colocá-las aqui.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Queda dos Gigantes

Já há umas semanas que terminei de ler A Queda dos Gigantes e devo dizer que gostei tanto que já encomendei outros livros do autor no site da editora. Este autor tem algo que nos cativa, os seus personagens ganham vida de um modo que tem tanto de misterioso como de maravilhoso, não deixando nenhum leitor indiferente. Conquistou-me e agora estou aqui ansiosamente à espera de uma oportunidade para ler mais da sua obra.
Quando publiquei a minha 1ª opinião referi que, acima de tudo, este é um livro sobre pessoas e a sua luta diária pelos seus ideais e por uma vida melhor. Mantenho a minha opinião. Este é um livro sobre as pessoas, sobre o modo como as diferentes pessoas podem ver a mesma realidade de modos dispares, sobre o modo como a educação, a classe social e tantos outros factores podem condicionar o pensamento e, consequentemente, as acções de um ser humano. Continuo a pensar que os personagens e o a forma como o autor consegue relacionar todos os personagens entre si, bem como a sua capacidade de nos fazer ver as coisas de vários pontos de vista nunca deixando que a narrativa se torne monótona, são os pontos mais fortes deste livro.
A este nível, os destinos que Follett confere aos diferentes personagens no final da Guerra servem para nos mostrar o que aconteceu em diversos países após o conflito - como o caso da Alemanha que, ainda que com escassez de comida e a sua moeda tremendamente desvalorizada, se viu obrigada a pagar a Guerra aos vencedores condenando muitos dos seus habitantes - mas que em alguns casos nos trazem uma espécie de sensação de conforto pelo destino de uns e alguma apreensão (no caso de Lev até um desejo de vingança) em relação a outros.
Ao ler este livro conseguimos rapidamente compreender que o autor se dedicou a muita pesquisa, não apenas a nível histórico mas também por forma a compreender o pensamento e as regras sociais da sociedade da época nos diferentes países focados na narrativa. Como já antes referi, não tenho qualquer problema em admitir que com esta narrativa compreendi coisas que na faculdade me passaram completamente ao lado, lendo as coisas assim conseguimos pensar, antecipar e compreender de forma muito mais clara tudo o que conduziu, não apenas a Europa mas todo o mundo, a este conflito.
Contudo, a este nível tenho as minhas reservas. Talvez por gostar muito de História ou por ter estudado estes episódios bélicos a fundo num passado não muito longínquo, penso que muito ficou por dizer. Claro que num livro deste tipo, e tendo em conta a estrutura optada na própria narrativa e que se trata de um romance, sei que há imensas coisas que teriam que ficar de fora. Ainda assim, não posso deixar de estranhar que não haja menção aos factos ocorridos nas colónias europeias por todo o mundo dado que se verificaram nestes territórios episódios bastante negros. Por outro lado, a minha veia de nacionalista (que por acaso até é mínima) não pode deixar de se insurgir quanto ao retrato do nosso país e pelo fraco envolvimento e importância que "temos" neste livro. Sabendo que a participação de Portugal na I Guerra Mundial mudou drasticamente a realidade política e social do país, conhecendo o profundo impacto que esta decisão política teve a nível interno e ao nível das centenas de famílias que perderam os seus entes queridos às ordens dos ingleses que os comandavam nas linhas da frente, não posso deixar de referir que, no que toca a este livro, Ken Follett nos deixou muito mas muito mal na fotografia. Mas a mesma queixa, talvez até pior, deve poder ser ouvida dos lábios dos leitores de todos os Países Baixos, e outros. Sejamos realistas, é um romance não um tratado histórico do tipo enciclopédico, não se pode ter tudo.
No geral, é um romance espectacular, um óptimo retracto de uma época e uma tocante história de gente, não apenas daqueles personagens inventados, mas de gente que realmente viveu e sofreu aquele negro período histórico. Uma narrativa forte que me prendeu desde os primeiros capítulos e que no fim custa a deixar para trás, levando o leitor a pensar durante dias qual terá sido o futuro que o autor reserva a determinados personagens e aos seus filhos. Que destinos nos revelará no próximo volume da trilogia, O Século?
Recomendadíssimo
8,5/10

Cumbite pa l salimiento de Ls Lusiadas an Lisboua

Queda eiqui l cumbite pa l salimiento de Ls Lusiadas, puostos an Mirandés por Francisco Niebro, que se dará an Lisboua l die 18 de Nobembre a las 18:30h ne l Centro Nacional de Cultura, que queda na Rue António Maria Cardoso nº 68.

La obra será apersentada pul Porsor Ernesto Rodrigues de la Faculdade de Letras de Lisboua i pul Dr. Guilherme de Oliveira Martins, Persidente de l Centro Nacional de Cultura.


Serie un gusto cuntar cun bós.Fica aqui o convite para o lançamento de Os Lusiadas, traduzidos para Mirandês por Francisco Niebro, que terá lugar às 18:30h de dia 18 de Novembro no Centro Nacional de Cultura, no nº 68 da Rua António Maria Cardoso.

A obra será apresentada pelo Professor Ernesto Rodrigues, da Faculdade de Letras de Lisboa, e pelo Dr. Guilherme de Oliveira Martins, Presidente do Centro Nacional de Cultura.


Seria um prazer contar convosco.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Vencedor do passatempo "Deserto de Gelo"

Terminou mais um passatempo com o apoio da Ed. Presença, à qual agradecemos mais esta oportunidade de presentear um dos nossos leitores.
Desta vez tivemos 156 participações, a grande maioria delas válidas, pela quais também vos agradecemos. O concurso foi feito, como sempre, via random.
Aproveito para informar os interessados de que na próxima semana, se tudo correr como previsto, publicarei a entrevista que fiz à autora em Lisboa e na qual tive o cuidado de lhe colocar algumas das questões apresentadas pelos concorrentes.
As respostas pretendidas eram:
1- Quais os clãs de bruxas que estão em guerra desde o início dos tempos?
Omar e as Odish
2- Que visita especial recebe Anaíd pelo seu 15º aniversário?
Clodia
3- O que significa a grande conjugação astral que teve lugar algumas semanas antes do aniversário de Anaíd?
O início do reinado da eleita.
4- Qual o título original do terceiro e último volume desta trilogia?
La Maldición de Odi
5- A autora Maite Carranza visitará em breve Portugal. Quando?
Vem a Portugal nos próximos dias 4 e 5 de Novembro
6- Em que colecção da Ed. Presença se insere este título?
Via Láctea
E o vencedor apurado foi:
Sílvia Ferreira, de Goaes - Amares

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Amanhã na fnac do Chiado

Amanhã às 18:30h, na Fnac do Chiado, apresentação do romance histórico sobre D. Miguel da Silva, cardeal impedido de ser Papa por D. João III.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Deserto de Gelo

Título: Deserto de Gelo
A Guerra das Bruxas II
Autor: Maite Carranza
Tradução: Regina Louro
Edição: Ed. Presença
Nº de páginas: 328
"Neste segundo volume da trilogia A Guerra da Bruxas, a antiga profecia cumpriu-se finalmente e Anaíd, a eleita dos cabelos de fogo, possui agora o ceptro do poder. As bruxas Omar esperam que ela acabe com as sanguinárias Odish, o clã que desde sempre as combateu. Mas Anaíd, tem apenas quinze anos e terá de partir com a mãe, numa fuga desesperada para norte, que será também a sua viagem de iniciação, que lhe revelará todos os mistérios e lendas que rodeiam as suas origens e o seu próprio nascimento. E a verdade não poderia ser mais aterradora... "
Depois de uma luta renhida com as Odish da qual resultou a morte de Salma e a revelação de que a eleita é a jovem Anaíd e não a sua mãe, as duas são obrigadas a empreender uma desesperada fuga. O verdadeiro motivo que as leva a viajar de carro dias a fio para norte, sempre para norte, apenas nos é inteiramente revelado no final do livro e Anaíd, tão desconhecedora como nós, acaba por provocar um precipitar de acontecimentos que, num próximo volume, se revelarão certamente catastróficos.
Desenganem-se os que pensam que a autora faz uma descrição detalhada e aborrecida da viagem destas duas Omar. Na verdade, este é um volume de ligação, um livro usado para fazer a ponte entre os aspectos pendentes para o leitor no que respeita ao passado e presente dos personagens e um terceiro volume em que a acção se adivinha como parte essencial da narrativa e em que esta guerra verá definitivamente o seu fim.
Mal nos apercebemos da viagem da fuga pois, no momento de partida, Selene compromete-se a contar à filha toda a verdade sobre a sua vida e daqueles que a rodeiam. Na verdade é esta a verdadeira viagem que fazemos, uma viagem ao passado de Selene que nos dá a conhecer não apenas a jovem rebelde de cabelos de fogo mas também as suas relações conflituosas com Deméter, o nascimento da sua filha, a sua relação com as Odish mas que sobretudo nos dá muitas respostas a perguntas que haviam ficado pendentes. Finalmente Anaíd e o leitor conhecem a história da personagem principal e descobrem quem é o seu pai, ponto que é fundamental para o entendimento de muitos elementos desta aventura.
Os personagens continuam muito humanos e é muito simples criar empatia com eles mas para mim o que este livro tem de verdadeiramente bom, além da forma engenhosa como a autora nos poupou a desgastantes descrições da viagem e nos encaminha de forma quase mágica para o passado, são as descrições das paisagens. Não são descrições maçudas e intermináveis, não. Com palavras simples e de forma muito sucinta Maite Carranza conseguiu levar-me aos países nórdicos, guiar-me no tempestuoso Mar do Norte pejado de baleias e transportar-me à cosmopolita Barcelona.
No fim ficou a vontade de mais, até porque o livro termina de um modo que desperta no leitor uma curiosidade tão grande que apenas podemos pedir que a edição do terceiro volume seja para breve. Recomendadíssimo (ambos os volumes).
7,5/10

domingo, 7 de novembro de 2010

Alegrem-se os fãs de Anne Bishop


Alegrem-se todos os fãs de Anne Bishop. Para nosso gaúdio chegará às nossas mãos ainda este mês mais um episódio da vida dos Sangue. A Senhora de Shalador estará disponível dia 12 de Novembro e eu, como tantos outros, estou mortinha para lhe deitar a mão. Mais um título para a minha já longa wishlist...

Sinopse:

"Durante longos anos o povo de Shalador suportou as crueldades das Rainhas corruptas que reinavam, proibindo tradições, punindo quem se atrevia a desafiá-las e forçando muitos à clandestinidade. Pese embora os refugiados tenham encontrado abrigo em Dena Nehele, nunca conseguiram considerar esse lugar como a sua terra.
Agora, depois da aniquilação dos Sangue deturpados de Dena Nehele após a purificação, a Rainha de Jóia Rosa, Senhora Cassidy, assume como seu dever restaurar a terra e dar provas das suas capacidades como soberana. Ciente de que para assumir tal tarefa irá precisar de todo o ânimo e coragem que conseguir reunir, invoca o poder dentro dela que nunca fora posto à prova, um poder capaz de a consumir caso não consiga controlá-lo.
Ainda que a Senhora Cassidy sobreviva à prova de fogo, outros perigos a aguardam. Pois as Viúvas Negras descortinam nas suas teias entrelaçadas visões de algo iminente que irá mudar a terra - e a Senhora Cassidy - para sempre."

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Passatempo Deserto de Gelo

"Neste segundo volume da trilogia A Guerra da Bruxas, a antiga profecia cumpriu-se finalmente e Anaíd, a eleita dos cabelos de fogo, possui agora o ceptro do poder. As bruxas Omar esperam que ela acabe com as sanguinárias Odish, o clã que desde sempre as combateu. Mas Anaíd, tem apenas quinze anos e terá de partir com a mãe, numa fuga desesperada para norte, que será também a sua viagem de iniciação, que lhe revelará todos os mistérios e lendas que rodeiam as suas origens e o seu próprio nascimento. E a verdade não poderia ser mais aterradora..."
A Sombra dos Livros em parceria com a Ed. Presença tem para vos oferecer um exemplar deste segundo volume da trilogia Guerra das Bruxas. Para se habilitarem a ganhá-lo apenas têm que nos enviar um e-mail até às 23:59 de dia 9 de Novembro com as respostas às seguintes questões:
1
- Quais os clãs de bruxas que estão em guerra desde o início dos tempos?
2- Que visita especial recebe Anaíd pelo seu 15º aniversário?
3- O que significa a grande conjugação astral que teve lugar algumas semanas antes do aniversário de Anaíd?
4- Qual o título original do terceiro e último volume desta trilogia?
5- A autora Maite Carranza visitará em breve Portugal. Quando?
6- Em que colecção da Ed. Presença se insere este título?
Podem encontrar as vossas respostas aqui, aqui e aqui.
Boa sorte a todos

Nota: Como já é habitual apenas se aceitam participações de residentes em Portugal e apenas será aceite uma participação por e-mail.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Colóquio Mensageiro das Estrelas



Vai decorrer na Universidade de Lisboa, entre 2 e 5 de Novembro, o colóquio de ficção cientifica e fantasia "Mensageiro das Estrelas". O evento é organizado pelo Centro de Estudos Anglísticos da universidade, sendo o objectivo principal promover o debate sobre a ficção científica e o fantástico, num diálogo entre a academia e a comunidade.

Serão várias as mesas redondas, as sessões plenárias e as conferências; quanto aos autores, editores e demais profissionais da área (alguns bem conhecidos, quanto a outros devo confessar a minha ignorância) parece-me que também os poderão entrar por lá para todos os gostos. Devo realçar a presença de Farah Mendelsohn às 10h da manhã de sexta feira, dia 5.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Eu faço mesmo...

Imagem tirarda daqui

Eu cheiro-os mesmo, adoro o cheiro de um livrinho novo, ainda por ler.
E vocês?

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

À procura de "novidades"

Olá pessoal

Sei que este espaço tem andado um bocadito parado e tal deve-se sobretudo às circunstâncias da nossa vida pessoal que nos andam a deixar sem grande tempo para leituras e para nos dedicarmos ao blog. Contudo, não queremos deixar morrer este cantinho que tanto prazer nos traz.
Também temos reparado que o pessoal seguidor (vocês, meus meninos, vocês...!!) anda menos participativo por aqui, o que também se compreende.
Posto isto, decidimos que temos que dinamizar a coisa, encontrar novas vias e enveredar por novos caminhos que nos aproximem (a nós e às nossas leituras) mais uns dos outros. Quem melhor para nos ajudar que vocês aí desse lado?
Não importa se são simples seguidores, amigos, conhecidos, profissionais da área que nos seguem com mais ou menos atenção ou simples amantes da leitura, dêem as vossas ideias, digam-nos o que gostariam de ver no blog, que passatempos gostavam que fizéssemos, comentem, discutam...
Contamos convosco, por isso, vamos deixar as vergonhas de lado. Contactem-nos com as vossas sugestões através de comentários, do facebook ou de e-mail.
Obrigada a todos e boas leituras

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Peter V. Brett em Portugal

Peter V. Brett estará em Lisboa, de 10 a 14 de Novembro

Vindo dos Estados Unidos para participar na 5ª Edição do Fórum Fantástico 2010, Peter V. Brett, um dos autores que mais reacções tem provocado junto de leitores e críticos de todo o mundo, causou sensação ao lançar a série “A Noite dos Demónios”. Iniciada com “O Homem Pintado”, publicado pela Gailivro no ano passado, este volume foi seguido recentemente pela publicação de “A Lança do Deserto”. “A Noite dos Demónios” é hoje uma das mais conceituadas séries de fantasia épica.
Publicado inicialmente na Austrália (2008), antes de conquistar a Europa, onde se tornou rapidamente num bestseller, nomeadamente na Alemanha e no Reino Unido, “O Homem Pintado” foi igualmente recebido com estrondo nos Estados Unidos (2009). Com um imaginário incrível, que faz lembrar O Senhor dos Anéis, o livro tem já assegurada a sua passagem ao grande ecrã (Paul W. S. Anderson, realizador de Resident Evil).

Em “O Homem Pintado”, Brett leva-nos numa viagem alucinante através de um mundo de demónios, escuridão e heróis…
A história, de acção e suspense, é de cortar a respiração e revela-nos um autor que a Amazon não hesitou em colocar no TOP 10 dos melhores romances fantásticos de 2008.
Após o sucesso de “O Homem Pintado”, Peter V. Brett voltou, dando continuidade ao ciclo “A Noite dos Demónios”, com a novidade que a Gailivro publicou em Julho deste ano: “A Lança do Deserto” .

Sobre o autor:
Criado com uma dieta contínua de romances de fantasia, banda desenhada e jogos Dungeons & Dragons, Peter V. Brett tem escrito histórias fantásticas desde que se lembra. Formou-se em Literatura Inglesa e História da Arte na Universidade de Buffalo, EUA, em 1995, e passou mais de uma década na área das publicações farmacêuticas antes de regressar à sua paixão. Vive em Brooklyn, Nova Iorque. “O Homem Pintado” foi o seu primeiro livro.
Visite a página de Peter aqui.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

A Queda dos Gigantes - 1ª opinião

Durante uns dias alimentei a esperança de conseguir ler o livro todo em, mais ou menos, uma semana. A leitura estava a ser tão mas tão envolvente que nem via as horas passar e, como sabem os que seguem o blog através do facebook, devorei mais de 600 páginas num abrir e fechar de olhos.
Nunca tinha lido nada deste autor, apesar de ser um dos mais aclamados em todo o mundo, mas quando comecei a ler A Queda dos Gigantes arrependi-me redondamente de nunca me ter debruçado sobre os seus livros. A escrita é envolvente e fluída sem ser excessivamente simples, é consistente e contribuí muitíssimo para a criação (ou recriação) dos ambientes de época através da linguagem e dos maneirismos a que o autor recorre. Tanto através da linguagem como da escrita se denota uma profunda pesquisa histórica e os vastos conhecimentos do autor. Um dos factores que mais me marcou foi a capacidade que Ken Follett tem de transmitir de forma exímia e simples os conhecimentos que possui. Uma pessoa pode saber muito sobre determinado tema e não conseguir explicá-lo aos outros. Com Ken Follet tal não acontece pois o modo como nos leva a ver os acontecimentos históricos, neste caso a conjuntura geopolítica, estratégica e social que levaram à I Guerra Mundial, é tão simples, tão terra-a-terra que é impossível não compreendermos na perfeição o que aconteceu. Na verdade, dei por mim várias vezes a pensar que se o livro já tivesse sido editado quando tive que estudar aprofundadamente este período na faculdade teria sido muito mais fácil perceber todo este negro episódio da História Mundial.
Através dos seus personagens fortes e extremamente reais, Ken Follett consegue transportar-nos ao início do século XX, fazendo-nos sentir que assistiu realmente aos acontecimentos e que apenas se limita a contar-nos aquilo que viu. A estória é contada através de cinco famílias - uma família da aristocracia inglêsa, uma família aristocrata alemã, uma família de mineiros de Inglaterra, a família carênciada da classe operária russa e um elemento de uma família americana - os personagens e os seus interesses cruzam-se e entrelaçam-se para nos dar a conhecer não apenas o conflito armado mas também as provações passadas por grande parte da sociedade europeia da época, os problemas sociais, a luta das mulheres pelos seus direitos e ainda os preconceitos da época (que não são muito diferentes dos actuais). Assim,vamos saltando da Rússia dos Czares para a América democrática nunca perdendo de vista a Inglaterra tradicionalista e damo-nos conta de que os problemas das pessoas são semelhantes em quase todo o mundo, que os amores impossíveis e as paixões escaldantes sempre existiram, que as injustiças acontecem a qualquer um e em qualquer lugar e, acima de tudo, que sempre foram as acções orgulhosas da classe governante que condenaram os povos às maiores provações.
É um romance sobre a guerra e sobre um período negro da História, não o nego mas, para mim, é acima de tudo um romance sobre as pessoas e a sua luta diária pelos seus ideais e por uma vida melhor para si próprios e para os seus. Estou completamente rendida aos talentos do autor.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Indomável

Título: Indomável
Autor: P. C. Cast & Kristin Cast
Tradução: Susana Serrão
Edição: Saída de Emergência
Nº de páginas: 304

"A vida é dura quando os amigos nos viram as costas. Que o diga Zoey Redbird que, em uma semana, passou de três namorados para nenhum, e perdeu a confiança do seu grupo íntimo de amigos. E o pior é que Zoey sabe que a culpa é sua. Marginalizada por todos, ela não resiste a criar amizade com o novo aluno da Casa da Noite, o arqueiro olímpico James Stark. Entretanto, Neferet declarou guerra aos humanos depois do assassinato de dois vampyros mortos pelo Povo da Fé. Mas ao contrário das promessas da Sumo-Sacerdotisa, as últimas visões de Afrodite mostram um mundo cheio de violência, ódio e trevas. Zoey sabe que é errado lutar contra os humanos, mas quem está disposto a dar-lhe ouvidos? As aventuras de Zoey na escola de vampyros tomam um caminho perigoso em que as lealdades são testadas, e um antigo mal é despertado... "
Este é, para mim, o melhor livro desta saga, formidável. Ao que parece a trama vai melhorando de livro para livro o que é óptimo.
Neste volume já não se encontram tantas descrições de coisas menos importantes, ou repetições desnecessárias de informação (que a mim tanto me alteram o sistema nervoso) e a estória é simplesmente viciante - basta dizer que li o livro em dois dias, o que não é nada habitual principalmente tendo em conta que tenho que trabalhar a maior parte do dia.
Em Indomável, Zoey vai ter que ganhar muita força e coragem para o que se avizinha pois, Nefret declarou guerra aos humanos e Zoey está só e apenas Afrodite acredita nela. Afrodite transformou-se, no fim do volume anterior, num ser diferente e que ninguém sabe classificar muito bem, as suas visões vão ficando cada vez mais negras e assustadoras mas o que é verdadeiramente assustador é aquilo em que Nefret se irá tornar...
Neste volume o horror, o mistério e a tristeza são levados ao extremo mas sempre temperados com uma pitada de humor. Arrisco-me a afirmar que nunca assistimos a uma estória tão negra no universo da Casa da Noite o que leva a pensar que a saga se pode tornar cada vez mais interessante se as autoras conseguirem manter o nível que alcançaram neste livro.
Apesar das mudanças na trama e de o estilo se estar a tornar algo mais dark, a escrita continua muito acessível e a leitura é muito fácil. Penso que os leitores desta saga vão ficar muito agradados com as pequenas mudanças e recomendo o livro não apenas a quem gosta de vampiros e mistério mas também àqueles que leram alguns volumes da saga e acabaram por desistir. Experimentem ler este volume que não se vão arrepender.
8/10

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Vargas Llosa, Nobel da Literatura 2010

A Academia Sueca anunciou hoje em Estocolmo o Prémio Nobel da Literatura 2010.
Mario Vargas Llosa recebe "pela sua cartografia das estruturas de poder e das imagens mordazes de resistência, revolta e derrotas do indivíduo", o 103.º Prémio Nobel da Literatura, atribuído pela primeira vez em 1901.

O autor de obras como "A tia Júlia e o escrevedor", "Conversa na catedral", "A guerra do fim do mundo", "Elogio da madrasta" e o livro de memórias "Como peixe na água", é o 11.º autor de língua espanhola a receber a distinção.


Para mais informações:







Prémios Nobel da Literatura desde 1960:
- 2010: Mario Vargas Llosa, Perú.
- 2009: Herta Mueller, Alemanha.
- 2008: Jean-Marie Gustave Le Clezio, França.
- 2007: Doris Lessing, Reino Unido.
- 2006: Orhan Pamuk, Turquia.
- 2005: Harold Pinter, Reino Unido.
- 2004: Elfriede Jelinek, Áustria.
- 2003: J.M. Coetzee, África do Sul.
- 2002: Imre Kertesz, Hungria.
- 2001: V.S. Naipaul.
- 2000: Gao Xingjian, francês nascido na China.
- 1999: Guenter Grass, Alemanha.
- 1998: Jose Saramago, Portugal.
- 1997: Dario Fo, Itália.
- 1996: Wislawa Szymborska, Polónia.
- 1995: Seamus Heaney, Irlanda.
- 1994: Kenzaburo Oe, Japão.
- 1993: Toni Morrison, EUA.
- 1992: Derek Walcott, St. Lucia.
- 1991: Nadine Gordimer, África do Sul.
- 1990: Octavio Paz, México.
- 1989: Camilo Jose Cela, Espanha.
- 1988: Naguib Mahfouz, Egipto.
- 1987: Joseph Brodsky, norte-americano nascido na Rússia.
- 1986: Wole Soyinka, Nigeria.
- 1985: Claude Simon, França.
- 1984: Jaroslav Seifert, ex-Checoslováquia.
- 1983: William Golding, Reino Unido.
- 1982: Gabriel Garcia Marquez, Colômbia.
- 1981: Elias Canetti, britânico nascido na Bulgária.
- 1980: Czeslaw Milosz, norte-americano nascido na Polónia.
- 1979: Odysseus Elytis, Grécia.
- 1978: Isaac Bashevis Singer, norte-americano nascido na Polónia.
- 1977: Vicente Aleixandre, Espanha. - 1976: Saul Bellow, norte-americano nascido no Canadá. - 1975: Eugenio Montale, Itália.
- 1974: Eyvind Johnson and Harry Martinson, Suécia.
- 1973: Patrick White, australiano nascido no Reino Unido.
- 1972: Heinrich Boell, Alemanha.
- 1971: Pablo Neruda, Chile.
- 1970: Alexander Solzhenitsyn, Rússia.
- 1969: Samuel Beckett, Irlanda.
- 1968: Yasunari Kawabata, Japão.
- 1967: Miguel A. Asturias, Guatemala.
- 1966: Shmuel Y. Agnon, israelita nascido na Polónia, e Nelly Sachs, sueca nascida na Alemanha. - 1965: Mikhail Sholokhov, Rússia.
- 1964: Jean-Paul Sartre, França.
- 1963: Giorgos Seferis, grego nascido na Turquia.
- 1962: John Steinbeck, EUA.
- 1961: Ivo Andric, ex-Jugoslavia.
- 1960: Saint-John Perse, francês nascido em Guadalupe

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Vencedor do passatempo Queda dos Gigantes

Boa tarde!!
A Sombra dos Livros e a Presença agradecem a todos os participantes os e-mail que enviaram durante a passada semana. Recebemos 167 participações mas, infelizmente, apenas um pode ganhar. Como sempre o vencedor foi encontrado por sorteio feito através do random.org e o exemplar de A Queda dos Gigantes será enviado nos próximos dias.
As perguntas e as respectivas respostas eram:
1. "A Queda dos Gigantes" é o primeiro volume de que trilogia?
R - É o primeiro volume da trilogia "O Século".

2. Em que ano tem início a narrativa deste primeiro volume?
R – Em 1911.

3. Em quantos países foi editado o livro?
R - A Queda dos Gigantes foi publicado em 14 países

4. Indique o nome de quatro personagens deste volume?
R - Billy Williams, Ethel, Tommy Griffiths, Mister Price (como é óbvio aceitámos os nomes de outros personagens, esta era uma resposta que variava muito e aqui está o exemplo dado pelo vencedor)

5. Que idade tem Billy Williams no início da narrativa e queacontecimento histórico tem lugar em 1911 no dia do seu aniversário?
R – Billy Williams no início da narrativa tem treze anos e nessemesmo dia o rei Jorge V foi coroado na Abadia de Westminster, em Londres.
E a vencedora deste passatempo é:

Florbela Galhetas, Terena

domingo, 3 de outubro de 2010

Novidade Papiro para Outubro

Título: Lisaha
Autor: Miguel Esteves Pinto

Sinopse:
"Lisaha versa sobre o amor e a perda dele. Centra-se num casal separado, e na falta de interesse pela vida quando se deparam com o vazio. Aqui, enquanto seguimos Pedro numa viagem que muda radicalmente a sua vida, vamos sabendo de outra, a de Leonor, colateral mas semelhante. São viagens às suas próprias profundezas, ao (re)conhecimento do amor e à tomada de consciência de que tudo se tinha dissolvido, parecendo que já nada fazia sentido."




Título: Nuvens Cinzentas de Maio
Autor: Álvaro Góis

Sinopse:
"Estonteante como imperceptível essa rapidez com que passam os dias e os anos, consumindo vorazmente o tempo que, connosco, se vai interpondo entre o berço e a tumba. Mas as memórias… ah!
Essas ficam e vão passando de geração em geração, na tentativa de se eternizarem e dar testemunho das razões que subjazem à evolução que o mundo experimenta na permanente busca de fórmulas e de verdades que nunca, ou dificilmente, serão plenas e finais.
Assim sendo, é no espírito dessa missão que o presente romance se assume e, como condutor de imaginário veículo, se propõe a transportar o leitor, num interessante percurso temporal e transversal à vida portuguesa nos conturbados anos de profunda transição política, em que se vivia procurando libertar as últimas amarras da ditadura e ensaiar os primeiros passos em democracia. Terá valido a pena? A dúvida persiste nos que são cépticos, até perante a maior evidência, porém, não poderão ignorar que o bem‑estar do presente – se é que ele existe – é, também, fruto das terríveis dores e angústias já sofridas por uma sociedade que avança corajosa sobre o chão movediço que percorre."



Título: Deuses ou Civilizações de Estrelas?
Autor: António Alves

Sinopse:
"Desde a sua criação até hoje, o nosso planeta e outros do nosso sistema solar receberam visitas celestes de várias partes do Universo. Visitas que deram origem ao aparecimento de religiões, lendas e mitos, e até de povos que se autoclassificam como visitantes da Terra.
Com eles, chega também um verdadeiro conhecimento tecnológico que fornece aos povos da Terra a evolução de que tanto necessitavam.
É minha pretensão divulgar algumas lendas, mitos e escrituras sagradas de todo o mundo que falam destes seres das estrelas como missionários da evolução da humanidade, dando exemplos de civilizações que escolheram esta Terra com o intuito de a colonizar ou permanecer nela por algum tempo."



Título: Transparências da Alma
Autor: José Luís Cordeiro

Sinopse:
"Escrever não é fácil. Escrever poesia é muito difícil. Mostrar a poesia que se escreve é, além de delicado, um acto de coragem. Mas a coragem, a força, o ânimo, o entusiasmo e o arrojo só são possíveis quando algumas pessoas estão ao nosso lado. E foi graças a essas pessoas que este livro nasceu! Das palavras do seu autor vê-se o seu retrato, porque nelas estão espelhadas várias situações vividas em diferentes fases de uma vida bem cheia. Das palavras do seu autor nasceu este livro de poemas que mais não são do que fragmentos de memória, pedaços da sua própria existência, transparências da sua própria alma.
É, pois, através da palavra poética que o autor se mostra: despido de vergonha, ausente de receios, capaz de mostrar aquilo que ao longo de toda uma vida foi guardando nos mais diversos suportes de escrita.
Neste livro que agora nasce, nasce também um libertar dos sonhos, pois é de diferentes temáticas que este livro vive: do sonho, do medo, da morte, da natureza, da ausência, do amor, em suma, da vida!"


Título: Lisboa Café
Autor: Daniel Costa

Sinopse:
"Lisboa Café será composto por um conteúdo interessante que tendo por ideia retratar uma certa sociedade de Lisboa, feito de observações que fui captado dos meus onze empregos, em cerca de dez anos.
Sobretudo devido ao óptimo prefácio do meu ilustre e velho amigo, Prof. Yébora Martins, acabei por verificar que teria dado um contributo para a história, relatando factos de certa importância.
Como eram elaborados os jornais da época, é bastante mencionada o Jornal a Capital, no início da segunda fase em que esteve sedeado na Rua do Século e impresso nas oficinas gráficas desse jornal, uma parte da sua historiografia, que julgo omitida, ainda, pelo próprio vespertino.
É recordada a revista Plateia, da Agência Portuguesa de Revistas, o Clube das Donas de Casa e outras. Ainda a União Gráfica, o Jornal Novidades, a revista Flama. Também a "Dona" Censura para a imprensa, etc.
O primeiro assalto a uma agência bancária em Portugal, excluindo o plítico de Palma Inácio. O tormentoso início do Circulo de Leitores, como nasceu o primeiro sócio. O eléctrico de Benfica, o café Paraíso de Benfica, o sózinhito, no cimo da Avenida Gomes Pereira, que os Parodiantes de Lisboa imortazivam na sua agressiva publicidade radiofónica.
Enfim, valerá a pena conhecer um pouco do meio gráfico e editorial dos anos sessenta e outras histórias até à Revolução dos Capitães."



Título: Amor Esquecido
Autor: Isaac Barradas

Sinopse:
"Após dois anos a esconder um amor incondicional por Marta, Sam pensa revelar à melhor amiga aquilo que sente, mas as dúvidas começam a surgir-lhe à medida que entra em algo novo na sua vida. Ao longo de toda a história, esse amor mostra-se mais forte, mas algo irá acontecer.
É num registo fluido e em mensagem ficcionada que Isaac Barradas escreve para aqueles que mais o compreenderão: trata-se de um livro de e para adolescentes, em jeito de homenagem a uma das fases mais intensas da vida, esse futuro pretérito imperfeito que jamais será esquecido."


Título: Os Sítios da Memória
Autor: Isabel Bracourt

Sinopse:
"Estes Sítios da Memória situam-se entre a Figueira da Foz e o Algarve.
A morte de um golfinho numa praia deserta, uma conversa no piano-bar, um papagaio improvisado num jardim de bairro ou uma noite na discoteca servem aqui de pretexto para Isabel Bracourt escrever o efémero, a solidão e o insólito que acontecem à sua volta, fazendo um contraponto entre o presente e passado."



Título: A Canção da Amizade
Autor: Jorge Neto de Melo

Sinopse:
"Desde os clássicos — veja-se a Odisseia de Homero — que o papel do cão no mundo humano é salientado como uma presença benéfica. Sabem também disso as crianças através dos seus livros, onde quase sempre surge uma personagem divertida e protectora, de quatro patas e focinho molhado. (…) Acima de tudo, na literatura o cão tem uma função de suporte à personagem principal, quer como fiel companheiro dotado de capacidades de sobrevivência superiores às humanas, quer assumindo — não raras vezes — um valor simbólico ou até hiperbólico, ao salientar determinado sentimento ou ponto de vista. (…) Mais ou menos amigo, o cão de Jorge Neto de Melo continua a ser o reflexo inocente das nossas vergonhas, da velha miséria humana — a qual é tão obscenamente solitária que, até quando transposta para a literatura, necessita de um companheiro."

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Clube do Autor - Novo projecto editorial

A chegada dos primeiros livros do Clube do Autor às livrarias nacionais, a 7 de Outubro, marca oficialmente o arranque do novo projecto editorial liderado por João Gonçalves.

Dama de Espadas – Crónica dos Loucos Amantes, de Mário Zambujal, e Kanikosen – O Navio dos Homens, são os dois primeiros títulos com os quais se inicia a construção de um catálogo que se pretende generalista, constituído por autores nacionais e estrangeiros, na área da ficção e não ficção, e, numa primeira fase, vocacionado para o público adulto.



Dama de Espadas – Crónica dos Loucos Amantes, de Mário Zambujal, o escritor que ao longo dos anos tem conquistado várias gerações de leitores é uma obra singular sobre as conturbadas relações entre homens e mulheres, um livro bem-humorado e despretensioso, escrito no registo único e inconfundível inaugurado com a Crónica dos Bons Malandros.











De Takiji Kobayashi, Kanikosen – O Navio dos Homens, é um clássico japonês convertido em bestseller internacional com mais de 1.600.000 exemplares vendidos só no Japão. Classificado pelo Le Monde des Libres como “uma obra-prima”, Kanikosen surpreende pela actualidade do tema (a precariedade laboral e as inevitáveis consequências sociais) e pela força e crueza do relato.





Civilização publica SJ Parris: Heresia

Título: Heresia
Autor: S. J. Parris
Tradução: Isabel Baptista
Páginas: 448
ISBN: 978-972-26-3039-9
Preço PVP: 18,90 €

Lançamento: Outubro 2010

"A estreia do monge Giordano Bruno, mágico, cientista e herege, numa nova série de thrillers históricos para fãs de C. J. Sansom e da Inglaterra da época de O Nome da Rosa.
Inglaterra, 1583. Um país inundado pela paranóia e pela conspiração, mas um porto de abrigo para um monge radical em fuga. Giordano Bruno, com as suas teorias de astronomia, fugiu da Inquisição para a corte de Isabel I. Ali, atrai as atenções de Francis Walsingham, chefe dos espiões e inimigo dos conspiradores católicos. Bruno é infiltrado na Universidade de Oxford, que se crê ser um antro de dissidentes franceses. Rapidamente Bruno dá por si envolvido nas intrigas do colégio universitário e distraído por uma bela jovem. Pouco depois, começa a investigar uma série de assassinatos horríveis, relacionados entre si por cartas com pistas. As cartas sugerem que as vítimas eram culpadas de heresia. Mas estará Bruno a ser ajudado ou induzido em erro, ou será ele o próximo alvo? Perseguindo um assassino astuto e determinado pelos claustros sombrios de Oxford, Bruno apercebe-se de que nem sempre os sábios conseguem distinguir a verdade da heresia. Mas alguns estão prontos a matar por ela! "

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Apelo

Uma altura houve em que eu era escuteira. As circunstâncias levaram-me a deixar o agrupamento, os acampamentos e todas as actividades a que nos dedicávamos mas... uma vez escuteiro para sempre escuteiro. É por isso que não posso deixar de partilhar convosco o apelo que recebi hoje. Os Escuteiros Marítimos de Nova Oeiras foram, há pouco tempo, assaltados e precisam de 6000€ para a reposição do material que lhes foi furtado.
Com este fim, estão a organizar uma feira do livro para os dias 4 e 5 de Dezembro. Para tal, pedem a ajuda de todos, profissionais do sector ou não, pois não têm livros suficientes para vender.


Assim, quem quiser ajudar este agrupamento pode contactá-los através do e-mail emno797.apoios@gmail.com. Como podem imaginar, qualquer ajuda, qualquer pequeno livro é bem-vindo de modo que não se acanhem. Agradeço também que passem palavra.


Desde já, muito obrigada a todos

Em Outubro com a Presença









O segundo volume de Os Jogos da Fome e um novo romance de Cecelia Ahern, disponíveis a 6 de Outubro. Curiosos?
Eu sim...

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Passatempo "Queda dos Gigantes"

A Sombra dos Livros e a Editorial Presença têm para vos oferecer um exemplar de "A Queda dos Gigantes" de Ken Follett. Para tal só têm que enviar-nos um e-mail (sombradoslivros@gmail.com) com as respostas às perguntas que se seguem. Não se esqueçam de enviar todos os dados pessoais e indicar o vosso nick de seguidor do blog.
1. "A Queda dos Gigantes" é o primeiro volume de que trilogia?
2. Em que ano tem início a narrativa deste primeiro volume?
3. Em quantos países foi editado o livro?
4. Indique o nome de quatro personagens deste volume?
5. Que idade tem Billy Williams no início da narrativa e que acontecimento histórico tem lugar em 1911 no dia do seu aniversário?
As respostas podem ser encontradas aqui e aqui

O passatempo decorre de dia 28 de Setembro até as 23:59 do dia 3 de Outubro.

Apenas será aceite uma participação por e-mail e morada.

O vencedor será sorteado aleatóriamente e contactado por e-mail.

Boa sorte a todos.